terça-feira, 14 de outubro de 2008

Mais que simples atos.

Costumo ler pelo menos 4 livros ao mesmo tempo e enquanto tento escrever um texto decente aqui, estou falando com 3 amigos no MSN, postando uma foto no meu fotolog e lendo poesias do Paulo Leminski num site. Alguns chamam isso de hiperatividade, outros de falta de foco. Eu costumo chamar de 'entediamento crônico'.

Conversas muitas longas costumam me entediar, principalmente quando as pessoas capricham nos detalhes e não vão direto ao ponto. É preciso ser rápido para manter me manter interessada. Também não gosto de jogos de cartas, ou quando meu adversário no xadrez pensa por 15 minutos antes de dar seu próximo lance. Piadas manjadas, música eletrônica, solos de guitarra muito demorados e baladas. Isso tudo me deixa muito entediada.

É, não deve ser muito fácil conviver comigo. No entanto, existe alguém que está sempre disposto a chamar minha atenção e a mantê-la voltada para si ( mesmo que pra isso seja preciso mudar de assunto 300 vezes ).

Ando confusa e com excesso de tempo livre. Meu cérebro trabalha sempre em ritmo frenético, processando muitos pensamentos ao mesmo tempo e isso me deixa um pouco cansada. Não estou na melhor das minhas fases nem tenho sido a melhor das companhias. E mesmo assim, mesmo com toda minha impaciência e inconstância, ele está sempre comigo. Se esforçando para me entender ou se segurando para não me esganar... Isso é amor de verdade. E é recíproco.

Ó aí, lá vem o tédio outra vez. É melhor parar por aqui.

Amar uma pessoa perfeita seria muito fácil, não é?

Enfim...

Nenhum comentário: