quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Onipresença.

Enquanto lavo a louça, na cozinha do meu apartamento, canto. Tenho essa mania. Cada verso da música fala um pouco de mim, dos meus amores e medos. No relógio a hora já passou, despercebida. Enxugo as mãos no pano de prato amarelado e me sento em frente à tv. Assisto um filme. Cada cena do filme tem um pouco de mim. Me canso, deito, olho pro lado: meu livro de cabeceira. Abro uma página ao acaso e lá está. Tem um pouco de mim em cada frase. Começo a pensar em quantas pessoas viveram minha vida e quanto de mim existiu em cada uma delas.
Enfim...

2 comentários:

Belle Biajoni disse...

lindo. vi um pouco de mim no post.

Samuel Quintans disse...

Muito belo isso que disse.
Bom ter você, inspirada por aqui!
Estou com uma saudade de você!

Ah! tenho novidades...

http://aordemdoquadrado.blogspot.com/

ando abusado, não?