quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Pensamento livre.

Não é segredo pra ninguém que estou passando por uma fase difícil e que isso abalou minha família inteira. Estou longe da minha casa, dos meus amigos, das minhas coisas... Mas sei que esse afastamento foi para o meu próprio bem. Estou me cuidando e já me sinto melhor. Gostaria que as pessoas que estão cuidando de mim soubessem que estou consciente dos meus limites. EU quero ficar bem e existem coisas que ninguém pode decidir por mim. É preciso confiar. Agora é hora de retomar a minha vida. Quero voltar pra minha casa de cabeça erguida, arrumar minhas coisas, voltar à minha velha rotina. Tenho muito o que decidir. E estou disposta a fazer o melhor pra mim e isso, quem gostar de mim, vai ter que entender. Não sou prisioneira de uma relação, nem de uma doença. Sou livre e tenho o direito de decidir o que quero fazer. Todos os conselhos são bem vindos, mas que fique claro aqui que eu não vou fazer nada que eu não queira. Espero que me entendam.
Enfim...

Um comentário:

Samuel Quintans disse...

Como diria Renato Teixeira:

"Somos a soma de todos
no justo momento do recomeçar"

Quando nos reconstruimos, quando recomeçamos, aprendemos que temos um pouquinho de cada um.

Melhoraremos
com as palavras de um,
com os cuidados do outro, com os "exageros" de alguém
com as broncas d vida
com os carinhos de todos

E existe um momento nessa melhora
que ensaiamos os primeiros passos
um pé, outro pé, mais passo. E seguimos.

Podemos cair de novo? Claro!
Pode ser que doa mais? Pode.

Mas viver é isso mesmo.

Ninguem tem o direito de comandar a vida do outro.
Ninguém tem o direito de deixar que alguém descuide da própria vida.

E aí encontramos a sábia dualidade.

Qual é papel de de uma pessoa que ama a outra?

Respeitar, conduzir, aprender, servir, estar e acreditar que tanto de um lado, como do outro, existe amor.

E isso basta!

"Pode voar, minha irmã. Que eu sou a sua outra asa"

O vôo é só seu. A vida é sua.
Mas somos a soma de todos
No justo momento do recomeçar

Amo você