domingo, 9 de agosto de 2009

Uma série que eu gosto.


Como um homem cujo trabalho é ajudar a solucionar os piores crimes de Miami durante o dia comete os mesmos atos brutais durante à noite? O que acontece numa cidade onde serial killers são perseguidos por um deles? Onde começa e termina a linha que separa um serial killer de um herói incomum?
"Dexter" é uma história cheia de reviravoltas sobre um especialista em medicina forense da polícia que passa parte de seu tempo perseguindo assassinos que ultrapassaram os limites da justiça. Mas será esse um caminho possível para um serial killer? Dexter é um personagem complexo cujo código moral e ações talvez sejam chocantes para alguns — e totalmente injustificáveis para outros. Na superfície, Dexter é um homem bom e charmoso. Durante o dia, ele é um especialista em sangue que trabalha ao lado da equipe da divisão de homicídios do departamento de polícia de Miami e vai além do seu trabalho para solucionar os assassinatos. Seu trabalho na verdade serve para ocultar sua verdadeira ocupação, a de serial killer, que consiste em matar aqueles que conseguiram escapar da polícia.Logo se descobre as origens do seu comportamento: após ficar órfão aos 4 anos e guardar um traumático segredo, Dexter é adotado por Harry Morgan, um policial que reconhece as tendências homicidas dele e guia seu filho para mudar sua terrível paixão em dissecar humanos para algo mais construtivo.Como todos os serial killers, o lado obscuro de Dexter é escondido das pessoas com quem ele passa mais tempo, principalmente daqueles que ele ama. Sua irmã Debra, que não desconfia de nada, é uma policial determinada, que sempre pede conselhos pessoais e profissionais para ele — desde sobre novos namorados até sobre uma série de mortes de prostitutas. A paixão por sua adorável namorada Rita, uma mãe solteira, faz com que ele enfrente a normalidade da vida diária. Durante o horário comercial, o Dexter "normal" se empenha enquanto trabalha ao lado do durão sargento Doakes, que não faz questão de esconder seu desprezo por ele, da tenente Maria LaGuerta, a chefe da divisão de homicídios da polícia, e do detetive Angel Batista, que ele praticamente considera o seu parceiro e que tem um faro especial pelos detalhes dos crimes.
O mais interessante é que, embora Dexter seja um assassino brutal, nós nos identificamos, já que no dia-a-dia, em muitos momentos precisamos, mascarar muito das nossas atitudes e pensamentos.
Enfim...

4 comentários:

Samuel Quintans disse...

Você já foi convidada!

Aguardo sua colaboração preciosa!

Ah! Tenho adorado a leveza de suas postgens por aqui. Sinais de mudança,amadurecimento e felicidade!
Eba!

Beijokas e pipokas

Samuka

Samuel Quintans disse...

oi Helen!

Precisamos marcar um bate-papo rapidinho, eu, vc e a Sandy, para falarmos do Cinema e Melodia.

Queria a contribuição de vocês, com uma certa frequencia e seria legal adotarmos uma linha de texto e assunto. Assim, cada um fica maisou menos com um tema que se identifica (vc com séries por exemplo ou coisa assim) e postamos pelo menos uma vez por dia, o que acha?

Beijos!

Samuel Quintans disse...

será um blog quintanesco! perceberam????

Belle Biajoni disse...

caramba um dos grandes aborrecimentos que tenho e morar nos estados unidos e nao ver series. tem cabimento?