sábado, 4 de fevereiro de 2012

Felicidade, tô pronta pra você.


A vida tem um jeito duro de ensinar. Para alguns, ela é como aquelas professoras dos tempos dos nossos pais, que usavam a palmatória. Ela nos dá a chance de fazer as escolhas certas e aprender com as erradas, às vezes da pior maneira.
A última semana foi difícil pra mim. Percebi várias coisas que estavam o tempo todo debaixo do meu nariz. Não sei dizer se eu não via ou se não queria ver. O fato é que aprendi que evitar certas decisões é machucar a si mesmo, é prolongar sofrimento.
Eu tô triste? Sim. Mas não do jeito que achei que fosse ficar. A perda me fez enxergar pessoas que estavam esquecidas, vontades que eu não lembrava mais que tinha, sonhos que estavam adormecidos.
Descobri que deixar o que me faz mal  me permite voltar a ser eu mesma. Sim, embora uma certa pessoa insista em dizer o contrário, vivi tempo demais uma vida que não era a minha e nem a que eu queria pra mim. Desde do começo eu não queria. Acho que idealizei algo que nunca existiu. Só descobri isso quando acabou. E finalmente acabou.
Felicidade, tô pronta pra você.
Enfim...

Nenhum comentário: