sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Monstro.




Não sei descrever o que estou sentindo. Meus olhos estão opacos. Minha voz fraca. Confesso que nunca me senti pior.
Me sinto sozinha. Tem gente ao meu redor. Mas ainda assim, me sinto só.

Penso que lavar o rosto talvez ajude a me sentir menos suja.  Me olho no espelho e vejo um monstro. Alguém sem alma, sem coração. Sem rosto.

Deito assombrada e, olhando para o teto, lembro de momentos que vivi há bem pouco tempo atrás. Risadas, música, balanço no parquinho.

É, você fez bem em não querer morar no meu castelo de areia. Sou pior que um vendaval. Nada do que eu toco fica de pé por muito tempo.

Enfim... 

Um comentário:

Sandy disse...

Eu não sei falar dos meus sentimentos. Não sou boa em coisa nenhuma, apenas sei fazer um pouco de várias coisas pequenas que juntas não formam uma peça. Não sou lembrada como melhor da sala e nem como pior. Não sei tocar nada. Não sei cantar. Sou péssima amiga, o que dirá melhor amiga. Ou namorada. Ou filha. Ou irmã. Tudo o que posso fazer é dar pequenos favores para quem eu quero bem pra ela se lembrar que gosto dela. Viu? Dependendo do angulo somos monstros, mas por sorte somos humanos.